domingo, 8 de julho de 2018

A ESPERA NÃO ACABOU!

Estamos no segundo semestre de 2018 e se aproximando do próximo concurso. Com as recentes declarações do deputado Mauro Moraes, as expectativas para que seja realizado um concurso com uma grande quantidade de vagas foram desfeitas.  Segundo o deputado o concurso poderia ocorrer ainda este ano de 2018, porém com 1500 vagas afirmou: "1500 vagas, apenas!"
O deputado que também é presidente da comissão de segurança pública garante que este número pode ser ampliado e destaca a importância dos investimentos pesados já realizados nos quatro primeiros meses do ano. Praticamente todas as áreas vem sendo beneficiadas, entretanto com muita coisa a melhorar e o principal: Aumentar o efetivo policial

Caso deseje visualizar o material apresentado poderá acessar o link abaixo e ainda terá descontos exclusivos usando o CUPOM DE DESCONTO:"vouserpmpr"PARCELAS EM ATÉ 12x sem juros!
E seu curso estará disponível 24h além de acesso ilimitado, você poderá também acessar pelo App ANDROIDE.

Quer saber mais?
Acesse agora o link e comece a buscar de verdade seu sonho:
https://www.focusconcursos.com.br/focus-online/curso/concurso-soldado-e-bombeiro-militar-do-parana

Use nosso cupom de desconto exclusivo e comece a se preparar de verdade:

"vouserpmpr"

BONS ESTUDOS!

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Concurso para PM é tema de reunião com Governador

O presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Moraes, voltou a se reunir com o governador Beto Richa, na última sexta-feira, para discutir a abertura de concurso público para a Polícia Militar do Paraná. O chefe do Executivo sinalizou que poderá autorizar o edital até o final de março. O governador deixou claro ao parlamentar que o lançamento de edital para a PM/BM consta na lista de assuntos que deverão ter um encaminhamento até o final de março, último prazo para a desincompatibilização do cargo, exigência eleitoral para sua candidatura ao Senado. O governador ainda não definiu se é candidato ao Senado. “Essa decisão é fundamental para termos uma dimensão de quando de fato teremos a publicação do edital para o concurso”, comenta Moraes. Entretanto, afirmou que, caso deixe o cargo para concorrer a uma vaga ao Senado, vai assinar o protocolo que já está em andamento para a contratação de 4 mil policiais. A inclusão, no entanto, deverá ocorrer gradativamente para repor aposentadorias e baixas. Suspensão de benefício Moraes também conversou com o governador sobre o Decreto Legislativo que suspendeu os efeitos de uma medida tomada pelo Executivo, a qual prejudicou mais de 500 policiais que dependem de assistência financeira para cobrir despesas médicas decorrentes de acidentes de trabalho. Richa considerou justa a reivindicação de Moraes pelo restabelecimento do benefício.

sábado, 17 de fevereiro de 2018

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Concuso PMPR poderá ser autorizado ainda neste primeiro trimestre de 2018



Há grandes possibilidades deste concurso PMPR (Praças) sair ainda neste trimestre de 2018, visto a falta do efetivo na instituição e inúmeras aposentadorias decorrentes nos últimos 5 anos, este concurso não pode deixar de sair no inicio deste ano.

O presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembléia Legislativa, deputado estadual Mauro Moraes aguarda audiência com o governador Beto Richa para conversar sobre o imediato lançamento do edital. Segundo o parlamentar, este encontro tem o objetivo de estabelecer ações para abertura do edital, além da criação de um cronograma para início das provas.

"Ao que tudo indica, o governador pretende assinar a autorização do protocolo de abertura de concurso público até o final do mês de março, quando deixa o cargo para concorrer a uma vaga ao Senado, nas eleições deste ano". Diz o deputado estadual Mauro Moraes.



O apelo ao governador também servirá para que todo o trâmite ganhe celeridade, apesar que o protocolo já está em fase de licitação e agora só depende da autorização das autoridades competentes para a escolha da banca e realização do concurso. As vagas estão estimada em 4 mil novos policiais militares, que ainda é pouco para suprir a falta do efetivo e se adequar a lei que estabelece o limite mínimo no efetivo geral do estado do Paraná em 28 mil policiais militares. Hoje a instituição não conta se quer com 17 mil policiais. 

A criminalidade vem crescendo esporadicamente, e a segurança e cheque a todo momento. Nossos policias necessitam de melhores condições de trabalho, novos equipamentos e aumento de vossos salários. Repor o efetivo significa também maiores condições e reduções nas "obrigatoriedades" de horas extras, possibilitando assim que estes possam ter uma boa qualidade de vida e mais tempo para vossos familiares. 

Repor o efetivo é respeito com a instituição da Policia Militar do PR que nos defende a mais de 100 anos. É respeito as famílias Paranaenses e a todo brasileiro que visita nosso estado. Não adianta se gabar de ser o primeiro estado da federação a sair da crise se isso não for mostrado na prática.  

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

"Abre edital PMPR 2018" a notícia mais esperada


Os paranaenses vem passando por um grande impacto negativo na área de segurança pública. O governo vêm anunciando notícias totalmente contraditórias a realidade do estado. Ao contrário do que se diz, não reduziu-se os índices de criminalidade, apenas migrou das grandes metrópoles para pequenas e médias cidades, na mesma linha de pensamento, o governador (Beto Richa) do Paraná anunciou ter contratado 11 mil policiais, o que também é totalmente contraditório as informações oficiais do site (http://www.pmpr.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=69) da PMPR mostrando que não chegou a 4800 policias dentro dos seus 8 anos de mandato, e que estas contratações não chegaram nem a cobrir os desligamentos anuais do período, visto que fazem mais de 5 anos que não há concurso público para reposição dos praças. 

É inadmissível que a sociedade aceite esse tipo de divulgação totalmente mentirosa e equivocada. Onde está a mídia para desmascarar esse ato repulsivo? Será que os paranaenses ainda se recordam das promessas do atual governador Beto Richa? O mesmo prometeu contratar 10 mil novos policiais no primeiro mandato e NÃO CUMPRIU. Como se não bastasse, prometeu contratar mais 10 mil novos policiais no segundo mandato e também NÃO CUMPRIU, além de a aquisição de 800 novas viaturas por ano, totalizando 3200 viaturas novas até o final do mandato e NÃO CUMPRIU.

Vamos mesmo aceitar essas mentiras até quando?

Lembrando que, existe uma lei aprovada a mais de 3 anos que ordena o aumento do efetivo da Policia Militar de aproximadamente 24 mil policiais para aproximadamente 28 mil policiais. E até agora não foi cumprida, pois o efetivo atual não chega se quer a 17 mil policiais. 

Afinal, o governador é acima da lei? Acima de nossa constituição? 

ESTÁ NA HORA DE TOMARMOS ATITUDE. ELA DEVE SER TOMADA NAS URNAS SE NÃO OBTIVERMOS UMA RESPOSTA IMEDIATA!

É HORA DE LIMPARMOS A "MELECA" DESSE PAÍS!
  

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Concurso para PM/BM deverá sair até março





quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Concurso para Polícia Civil é autorizado pelo Governo


O governador Beto Richa autorizou, nesta quinta-feira, a abertura de concurso público para o cargo de escrivão da Polícia Civil. Serão abertas 100 vagas. A abertura do concurso para contratação de profissionais para a Policia Civil do Paraná é uma demanda que vem sendo acompanhada pelo presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Moraes. “Foram muitas reuniões e apelo feito em nome de policiais que acumulam trabalho em todas as regiões do Estado em decorrência do encolhimento do Quadro Próprio nos últimos anos”, comenta o parlamentar. Com a autorização já concedida pelo governo, Moraes trabalha agora para que o edital seja aberto ainda no primeiro semestre deste ano. “Temos que levar em consideração a demanda por profissionais o tempo que leva entre a contratação e formação de escrivães. Por isso será preciso dar celeridade ao concurso”, explica o deputado. Além do concurso para o cargo de escrivão, o parlamentar também vem dialogando com o governo para que seja aberto edital também para investigador. "Iniciarei uma campanha junto ao Governo do Estado para que a Polícia Civil tenha seu quadro pessoal reestruturado", afirma.

Proposta determina número mínimo de policiais em atividade por habitante


A proposta também determina horas mínimas de treinamento e capacitação para policiais civis e militares. O objetivo da proposta é garantir, para cada unidade da Federação, um efetivo policial compatível com a média mundial e limitar o número de policias afastados ou dedicados a atividades-meio. Na justificativa da matéria consta documento International Statistics on Crime and Justice, de 2010, feito por dois institutos da Organização das Nações Unidas, que constatou uma média mundial de um policial para aproximadamente 300 indivíduos. Dados do IBGE sobre o Perfil dos Estados e dos Municípios Brasileiros indicam que, em 2013, o Brasil tinha o efetivo de 425.248 policiais militares, o equivalente a um policial para cada 473 habitantes. Percentual mínimo Pelo texto da proposta, todos os estados e o Distrito Federal (DF) terão um policial em atividade para cada 300 habitantes, somando-se os efetivos das Polícias Civil e Militar e tendo como base o censo atualizado do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 



quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Comando da PM solicita abertura de vagas para CFO

O Comanda da Polícia Militar do Paraná já encaminhou para o Governo do Estado pedido para abertura de 30 vagas para policiais e 15 bombeiros militares no CFO de 2017. O protocolo nº 14.607.525-8 já está em tramitação. Tanto o Comando da PM quanto o presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Moraes, consideram o número de vagas solicitadas em protocolo ainda inferior fara fazer frente aos programas de segurança implementados pelo Governo do Estado. De acordo com o parlamentar, o ideal seria a abertura de 70 vagas para PM e 30 para BM. No entanto, o protocolo ainda passar pela análise da Secretaria da Fazenda, que pode reduzir ainda mais o número de alunos ou até mesmo segurar sua tramitação. “Apesar das dificuldades impostas pelo setor de finanças do governo, estou certo de que o governador Beto Richa irá autorizar a realização do CFO com a quantidade de vaga descrita no protocolo”, avalia Moraes.

Novo concurso para PM e BM já tem protocolo

Conforme solicitação feita inúmeras vezes pelo presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Moraes, ao governo do Estado, a abertura de concurso público para inclusão de policiais e bombeiros militares já possui o protocolo em andamento. 
 
O protocolo nº 14.495.288-0 prevê a realização de concurso público para a contratação de 4 mil policiais militares e 1000 (mil) bombeiros. Entretanto, conforme destaca o parlamentar, é possível que o governo reduza a oferta de vagas para 1500 PM e 500 BM. Sobre a previsão de data para a realização do processo seletivo, o parlamentar ressalta que o protocolo, embora tenha que passar por secretarias competentes, permitirá a publicação do edital e realização das provas ainda durante o ano de 2017.
 
“Fazer parte da PM/PR é o sonho de milhares de jovens. Vamos acompanhar toda a tramitação do protocolo para garantir a abertura de concurso ainda este ano”, afirma Moraes.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Após longa discussão, governo autoriza pagamento de promoções e progressões



http://mauromoraes.com.br/noticias/?id=3843&apos-longa-discussao-governo-autoriza-pagamento-avancos-de-carreira
Depois de uma série de encontros e reuniões entre o alto escalão do governo do Estado e o presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Mauro Moraes, todos os pagamentos referentes a promoções e progressões do funcionalismo público estadual, incluindo as forças policiais, serão feitos na folha de agosto. 


O governo autorizou ontem o pagamento de R$1,4 bilhão para quitar dívida com avanços de carreias de diversas categorias, em especial com as forças de segurança. Têm direito a receber valores correspondentes servidores que cumpriram os requisitos necessários para a aquisição desses benefícios em 2017. 

 Com a medida, serão pagos 55 mil avanços de carreira, que se somam aos pagamentos iniciados em janeiro, quando 94 mil atos foram implantados.

Entre setembro e dezembro, o servidor que concluir todas as exigências funcionais que dão direito aos avanços de carreira terá o benefício implantado de forma automática, sem a necessidade de autorização prévia de qualquer integrante do governo, o que não acontecia desde 2013. 

No mês de janeiro, foram implantados benefícios aos servidores que adquiriram o direito a progressões e promoções até dezembro de 2016.

domingo, 30 de julho de 2017

PMs SÃO ESCALADOS PARA SERVIÇO BRAÇAL FORA DE PLANTÃO

A CGN recebeu uma denúncia de que policiais militares que atuam em Capanema estariam sendo escalados para trabalhar em uma obra após o plantão normal. Uma imagem da escala foi encaminhada mostrando seis soldados que estariam escalados para hoje, para trabalhar das 8h às 17h30 no local onde está sendo construído a nova sede da 4ª Companhia. 

A escala especifica que a equipe deve usar “roupa de ralo”, ou seja, que possam ser sujas. Segundo a denúncia a escala não é voluntária, é imposta e muitas vezes ocorreriam antes de o policial descansar do plantão. 

A CGN conversou com o capitão Cesar Sebastião da Silva, que responde pela companhia, que confirmou que a escala existe, mas não é obrigatória nem frequente.

“Entendemos que alguns serviços de manutenção devem ser feitos pelo próprio policial, para benefício dele mesmo e da comunidade. Eu mesmo participo das escalas, limpo minha própria sala, entendemos que esta participação está ligada à segurança pública”, afirma. 

Os policiais de Capanema fazem plantão de 24 horas e na sequência tem 48 horas de descanso. Segundo Cesar, depois que o policial já descansou, durante as 48 horas, é que a escala o convoca e que isso ocorreria poucas vezes por ano. Hoje, por exemplo, estaria sendo feita a pintura de um campo de futebol e de muros que ficam na mesma área onde a sede da Companhia foi construída. No entendimento do capitão é comum que estas atividades aconteçam fora do horário da escala de trabalho, pois tirar o policial da rua para estes serviços traria prejuízo para a segurança pública.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Para Moraes, Concursos da PM e Civil Devem Sair Ainda Este Ano

 A falta de efeito na Polícia Civil, sobretudo para a função de escrivão, tem causado grande preocupação em delegacias. Da mesma forma, o número de aposentadorias anuais na Polícia Militar também tem aumentando o déficit no efetivo em praticamente todas as regiões do Estado. “Para garantir a reposição das forças de segurança o governo do Estado precisa realizar pelo menos dois concursos público no segundo semestre de 2017. Do contrário, será preocupante a situação tanto da Civil quanto da PM”, alerta o presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, deputado Mauro Moraes. 
Um protocolo em tramitação por secretarias de Estado prevê a realização de concurso público para o preenchimento de vagas para o cargo de escrivão de Polícia Civil. A previsão é de que sejam contratados 300 profissionais. Entretanto, o documento caminha lentamente por departamentos e a demanda por escrivães aumenta. 
Caso igualmente preocupante é o da Polícia Militar. Cerca de 800 policiais deixam a corporação anualmente, maioria por ter cumprido do tempo mínimo de serviço. De acordo com Moraes, se contratações não forem feitas com regularidades, a tendência será a redução do efetivo. “Isso seria extremamente preocupante para a Segurança Pública do Paraná. É preciso manter um fluxo de inclusão de policiais que seja capaz de pelo menos repor aposentadorias e baixas. Seria o mínimo”, sugere o deputado. 
Já para a função de escrivão, as contratações resolveriam um grave problema enfrentado por praticamente todas as delegacias, a falta de profissionais. “Contamos com o entendimento do governo do Estado para tomar as medidas cabíveis, evitando assim uma redução preocupante das forças de segurança”, diz Moraes.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

NOVO CONCURSO PMPR JÁ!

             A insegurança volta a preocupar toda a população no estado do Paraná, a criminalidade cresce significativamente no estado, contamos com um dos menores efetivos policiais do país, e isso vem preocupando todos os paranaenses. Promessas de governo que ainda não foram cumpridas. A sociedade não pode ficar nas mãos dos bandidos, e necessita de uma resposta rápida do chefe de estado senhor governador Beto Richa.
             Até quando vamos viver com desculpas esfarrapadas de que não há verba no estado, ou de que o orçamento não comporta novas contratações? Afinal, não foi o próprio governador quem fez promessas de campanha dizendo que contrataria mais 10 mil novos policiais? E de aquisição de 800 novas viaturas por ano até o fim do mandato em 2018?
                É hora de mudar esse quadro, já estamos a mais de 5 anos sem a realização de um novo concurso na Policia Militar, foram 5 anos para chamar aproximadamente 4 mil policias que se quer cobriu o efetivo de desligamentos anuais. Esse ano muitos policias vão se aposentar, muitos ainda trabalham dobrado para cobrir espaços que deviam estar sendo cobertos por novas contratações. Ressalto que, a PMPR vem realizando um excelente trabalho no estado, e graças a isso não estamos em uma situação ainda pior, sei que não deve ser fácil "enxugar gelo" com pano, mas a segurança não pode parar. Por isso, nossos guerreiros realizam o possível para que você tenha um excelente dia, ou uma ótima noite de sono. Mas apesar de toda essa luta desigual entre politicagem e desejos, continuamos acreditando em nossos agentes de segurança pública, e que temos a esperança de ver um país com índices de criminalidade baixíssimos. 
            Está na hora de aumentar o efetivo, e dessa vez sim, realizar uma contratação histórica para no estado, necessitamos de uma resposta urgente de nosso governador, não dá pra ficar esperando por outro ano eleitoral para começar a agir. Precisamos disso é agora, já! Ou será que suas promessas de campanha serão apenas palavras jogadas ao vento?
            A sociedade não pode mais esperar, ela grita por um 
NOVO CONCURSO PMPR JÁ!  


segunda-feira, 22 de maio de 2017

CONCURSO PREVISTO, QUAIS ASSUNTOS PODERÃO SER COBRADOS?

Estamos indo para o segundo semestre e se aproximando do próximo concurso.Com as recentes declarações do deputado Mauro Moraes, as expectativas para que seja realizado um concurso com uma grande quantidade de vagas foram desfeitas.  Segundo o deputado o concurso pode ocorrer ainda este ano, porém com 1500 vagas afirmou: "1500 vagas, apenas!" O deputado que também é presidente da comissão de segurança pública garante que este número pode ser ampliado e destaca a importância dos investimentos pesados já realizados nos quatro primeiros meses do ano. Praticamente todas as áreas vem sendo beneficiadas, entretanto com muita coisa a melhorar e o principal:                              Aumentar o efetivo policial

Estamos indo para o segundo semestre e se aproximando do próximo concurso.Com as recentes declarações do deputado Mauro Moraes, as expectativas para que seja realizado um concurso com uma grande quantidade de vagas foram desfeitas.  Segundo o deputado o concurso pode ocorrer ainda este ano, porém com 1500 vagas afirmou: "1500 vagas, apenas!"
O deputado que também é presidente da comissão de segurança pública garante que este número pode ser ampliado e destaca a importância dos investimentos pesados já realizados nos quatro primeiros meses do ano. Praticamente todas as áreas vem sendo beneficiadas, entretanto com muita coisa a melhorar e o principal: Aumentar o efetivo policial

Caso deseje visualizar o material apresentado poderá acessar o link abaixo e ainda terá descontos exclusivos usando o CUPOM DE DESCONTO:"vouserpmpr"
PARCELAS EM ATÉ 12x sem juros!
E seu curso estará disponível 24h além de acesso ilimitado, você poderá também acessar pelo App ANDROIDE.

Quer saber mais?
Acesse agora o link e comece a buscar de verdade seu sonho:
https://www.focusconcursos.com.br/focus-online/curso/concurso-soldado-e-bombeiro-militar-do-parana

Use nosso cupom de desconto exclusivo e comece a se preparar de verdade:

"vouserpmpr"

BONS ESTUDOS!

domingo, 7 de maio de 2017

JUIZ DO PARANÁ DECRETA TOQUE DE RECOLHER POR FALTA DE POLICIAIS

O caso ocorreu no dia 29/09 do ano passado durante o período eleitoral quando uma pessoa foi morta a tiros.



Fonte:  http://g1.globo.com/pr/campos-gerais-sul/noticia/2016/09/juiz-decreta-toque-de-recolher-em-3-cidades-do-parana-apos-assassinato.html

Após elogio de João Dória, Beto Richa acaba com o sonho de 163 suplentes da polícia militar e ignora a falta de policiais

Em Abril o prefeito de São Paulo se encontrou com o tucano Beto Richa  e não poupou elogios ao trabalho e a política administrativa do estado por parte do governador

Na corrida até a presidência, ainda como pré candidato a 2018, João Doria está logo abaixo do popular Bolsonaro, militar do Exército, deputado mais votado do Rio de Janeiro e defensor das forças policiais.

Não demorou muito e já no início de Maio, o governador Beto Richa voltou a destruir o sonho de 163 famílias, retirando a oportunidade dos candidatos(as) aprovados no último concurso público para Polícia Militar.

Os 163 candidatos eram suplentes do concurso aberto em 2012, estavam aptos em todas as fases e foram esquecidos pelo "Governo bem administrado" na Linha ideológica do prefeito de SP


Lembramos ainda que houve intensa mobilização da população para compra de armamentos,  reforma de viaturas e reparos e mesmo assim assistiram um verdadeiro massacre nos últimos anos encobertos por deputados da base aliada. Foi o caso das cidades "explodidas" "dominadas", explosões de caixas eletrônicos em muitos casos de cidade pequena onde a polícia ficou "presa" sem reação, sem reforços  (isso porque também não se cumpre a lei de efetivo mínimo estadual).

A solução partiu mais uma vez do povo patriota que clama até hoje por mais polícias.

Descaso total.

SEM PREVISÃO de quando teremos um #NovoConcursoPMPR 











quarta-feira, 3 de maio de 2017

Governador Beto Richa deve autorizar o concurso nos próximos meses

Maio se inicia e com ele trouxe novidades para a segurança do estado.   Trata se do relatório que apresentou queda em 14,35% dos homicídios dolosos. Confira as palavras:

"Recebi hoje relatório da Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária que mostra queda de 14,35% no número de homicídios dolosos no Paraná no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2016. Segurança pública é uma preocupação permanente e continuaremos trabalhando forte para reduzirmos a criminalidade em nosso Estado".

Beto Richa foi além e mais tarde enalteceu a importância do Colégio da Polícia militar do Paraná em seu Facebook 


 Devemos esperar boas notícias no decorrer do mês.


PROMESSAS DE CAMPANHA



O governador parece interessado em cumprir outras promessas e uma delas está se concretizando.   Em 2014 em sua reeleição, o governador prometeu a reposição de 800 viaturas para Polícia ao ano, e não conseguiu este número até então conforme programado, mas vem anunciando recentemente novos investimentos e adquirindo viaturas do modelo Toyota E tios.


Outra promessa se dá ao efetivo, e sua reposição de dez mil policiais feita em 2014 durante a reeleição.

A população deverá ser contemplada nos próximos meses com mais um concurso para Soldados da PMPR, e muitas pessoas já estão aguardando está oportunidade.

Por dentro do Novo Concurso PMPR


A proximidade em que estamos do novo concurso é imensa.

Semana passada com o anúncio de novas viaturas para o estado percebemos interesse por parte do #BetoRicha em cumprir sua promessa de 800 viaturas ao ano.

Agora, foram 10 mil novos policiais divulgados na Campanha de 2014.

Estamos perto de mais uma contratação histórica, ou de um concurso rápido para auxiliar na manobra política em apoio a um novo candidato a governador?

Fica a questão por parte de nossos seguidores.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Troca de comando na PMPR

Polícia Militar

25/04/2017

Batalhão da PM no Litoral do estado recebe novo Comandante durante solenidade em Paranaguá

O 9º Batalhão de Polícia Militar (9º BPM), pertencente ao 6º Comando Regional da PM (6º CRPM), recebeu durante uma cerimônia na manhã desta terça-feira (25/04) o seu novo comandante. O tenente-coronel Nivaldo Marcelos da Silva passou a função ao tenente-coronel Rui Noé Barroso Torres. O evento aconteceu na sede da unidade na cidade de Paranaguá (PR), Litoral do estado, e contou com a presença de autoridades civis e militares, oficiais e praças da corporação, convidados e a comunidade.

De acordo com o Comandante do 6º Comando Regional da PM (6º CRPM), coronel Chehade Elias Geha, as mudanças são comuns nos cargos do alto escalão da corporação. “Temos que observar que a Polícia Militar é gigante e conta com 27 Batalhões de área, oito Companhias Independentes e nove Batalhões especializados, então há a necessidade de se conhecer a dimensão da corporação e os critérios que diferenciam cada ponto do estado. É importante que o oficial conheça as diferenças de cada área do Paraná, pois estes conhecimentos somados só trazem uma segurança mais acertada para toda a população”, explica.

Durante a solenidade, o Chefe do Estado Maior do 6º CRPM, tenente-coronel Maurício Cesar de Moraes, fez a leitura do elogio individual do tenente-coronel Nivaldo Marcelos da Silva. Em seguida foi feita a leitura da ordem do dia do Comandante Sucedido. Após o ato de passagem de comando e a tradicional revista à tropa. Posteriormente, o tenente-coronel Nivaldo e o tenente-coronel Barroso fizeram uma homenagem às suas esposas com a entrega de rosas por todo apoio e compreensão.

O tenente-coronel Nivaldo Marcelos da Silva estava à frente do 9º BPM e assumiu na semana passada o Comando do 23º BPM que é responsável pelo policiamento na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). “Deste período eu destacaria a experiência que adquiri, pois este é um batalhão que abrange uma região turística e conta com um trabalho específico durante o Verão Paraná. Saio daqui pronto e assumo outra unidade, que possui a maior concentração de pessoas na Capital do estado, acreditando que temos condições de dar continuidade ao bom trabalho”, afirma.

O 9º BPM agora será Comandado pelo tenente-coronel Rui Noé Barroso Torres, que estava na Força Nacional. “Vou procurar dar continuidade ao trabalho que vinha sendo desenvolvido pelo tenente-coronel Nivaldo. Acredito no trabalho integrado com outras instituições e entendo que há muito tempo a segurança pública deixou de ser um assunto apenas de polícia, mas se for feito em parceria com demais órgãos e a comunidade conseguiremos implementar e otimizar, dentro dos recursos humanos e materiais que temos, a sensação de segurança no Litoral”, destaca.

Estavam presentes no evento o Comandante do 6º Comando Regional da PM (6º CRPM), coronel Chehade Elias Geha; o Comandante do Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd), tenente-coronel Eroni Roberto Antunes; o Chefe da 5ª Seção do Estado maior da PM, tenente-coronel Vanderley Rothenburg; o Chefe do Estado Maior do 6º CRPM, tenente-coronel Maurício Cesar de Moraes; o Comandante do 17º BPM, tenente-coronel William Kuczynski; o Subcomandante do 8º Grupamento do Bombeiros, major Edson Oliveira Ávila; além de oficiais e praças da PM, autoridades civis e militares, empresários, integrantes dos Conselhos de Segurança e convidados.

FONTE:http://www.seguranca.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=10997&tit=Batalhao-da-PM-no-Litoral-do-estado-recebe-novo-Comandante-durante-solenidade-em-Paranagua




segunda-feira, 24 de abril de 2017

Paraná não cumpre lei estadual que determina um efetivo mínimo de políciais

PMs de 25 Estados não têm o mínimo de soldados previsto nas leis estaduais


Os efetivos das PMs (Polícias Militares) pelo Brasil não alcançam o previsto pelas respectivas leis estaduais. Um levantamento feito pelo UOL revela que 25 das 27 PMs têm menos militares que o previsto em lei estadual que fixa o número ideal de cada batalhão. A única exceção é o Espírito Santo --o Maranhão não foi levado em conta no levantamento, uma vez que a assessoria do governo diz desconhecer uma lei que determine este número. 
As leis estaduais estipulam, em média, que as PMs deveriam ter quase 600 mil policiais. Atualmente, a média é de 430 mil militares por Estado --em 11 deles, a tropa vem caindo anualmente desde 2012. Somando os batalhões, o deficit nacional é de cerca de 170 mil militares. 

Para criar os quadros e vagas, as corporações devem ter leis específicas que fixam o efetivo de policiais, com distribuição dos cargos --por patentes e batalhões de atuação, por exemplo. A lei, porém, não obriga os Estados a manterem os quadros preenchidos, então os números são tratados como o que seria o efetivo ideal do Estado.
Para fazer o levantamento das tropas atuais, o UOL consultou as 27 PMs nas unidades de federação. Nos casos de Goiás e Mato Grosso do Sul, as entidades afirmaram que não poderiam informar o total presente na tropa porque se trata de um "dado sigiloso". Já Santa Catarina não respondeu ao pedido do UOL. Nesses casos, a reportagem usou como parâmetro o dado mais recente informado pelo Estado ao Anuário Brasileiro da Segurança Pública 2016. 

22 Estados têm menos de 80% do que é fixado em lei

Das 27 unidades da federação, apenas quatro têm tropas com mais de 80% do efetivo fixado em lei: São Paulo, Ceará e Minas Gerais, além do Espírito Santo. 
Na outra ponta, há casos em que a tropa não é nem sequer metade do efetivo fixado em lei. Em Goiás, onde há a maior distorção, em 2014 o efetivo era de quase 12 mil militares, quando o número previsto em lei supera os 30 mil --38,9% do ideal. 
Há um projeto em discussão na Assembleia Legislativa goiana, enviado pelo governo, que reduz o efetivo fixado para 16 mil. O governo alega que a lei em vigor é antiga (de 2002) e despreza, por exemplo, reserva de 10% para mulheres. 
Nos últimos anos, as tropas também foram se reduzindo em muitos casos. Onze unidades viram o número de efetivo cair: Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Rondônia, São Paulo e Tocantins.
O caso mais emblemático é o Rio Grande do Sul, que entre 2012 e fevereiro deste ano perdeu mais de 5.000 militares da ativa --caindo de 24,1 mil para 18,8 mil. O Estado passa por uma grave crise financeira nos últimos anos e, sem recursos, praticamente não contratou policiais para suprir os que foram para reserva. 

Não há responsabilização prevista aos Estados

A discussão sobre policiais militares ganhou força após a paralisação de PMs no Espírito Santo. Mesmo sendo o único Estado que cumpre a lei, com a paralisação, 143 pessoas foram mortas  durante 11 dias.
Segundo um procurador de Estado consultado pela reportagem, não há responsabilização prevista aos gestores estaduais por não preencher os cargos porque o governo deve ter como parâmetro a lei federal. "Tudo dependerá da possibilidade de provimento e, principalmente, a capacidade financeira para contratação, levando em conta aos questões orçamentárias e o cumprimento da LRF [Lei de Responsabilidade Fiscal]", afirma.
A LRF determina que os Estados não podem gastar mais do que 49% da receita corrente líquida com a folha de pagamento. Caso excedam, sofrem sanções, que chegam á suspensão de repasses federais ao ente e responsabilização do gestor.
O pesquisador Ivênio Hermes, que também é advogado e membro sênior do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, explica que os governos e Tribunais de Contas levam em conta os limites propostos da LRF para não contratar mais PMs. Para ele, a lei deveria ser flexibilizada porque "é imprudente falir todo o sistema de segurança."
"Defendi em artigo científico na Senasp [Secretaria nacional de Segurança Pública] é que deve ser feita um flexibilização da LRF exclusivamente para concurso público e contratação de operadores de Segurança Pública. Sem isso, não se tem acesso à saúde, educação, equipamentos públicos como praças e quadras, lazer, trabalho, transporte e outros", alega
 

De armas sucateadas a pagamentos atrasados: a crise na PM do Rio

"Impunidade impera em decorrência da falta de efetivo"

Ivênio Hermes, pesquisador e coordenador do Observatório de Violência Letal Intencional, ligado à Universidade Federal Rural do Semi-Árido, afirma que, em regra, há um baixo efetivo de PMs no Brasil --o que seria um indicador importante para explicar a alta violência. 
"A impunidade impera em decorrência da falta de efetivo. No Brasil é um bom negócio matar, afinal as possibilidades de ser preso e indiciado são mínimas. A polícia ostensiva trabalha com o mínimo de efetivo e a máxima da desvalorização", afirma. 
Hermes avalia que, além da falta de pessoas, há também pouca preparação dos policiais. "Os Estados não promovem capacitação continuada para todo o efetivo, nem a reposição de efetivo planejada conforme as previsões de aposentadoria e defasagem de acordo com a legislação das instituições. Vemos espasmos de contratações que se tornarão levas de aposentadorias no futuro."

"Nosso problema tem a ver com modelo de policiamento"

Para Robson Sávio Reis Souza, coordenador Núcleo de Estudos Sociopolíticos da PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Minas Gerais e membro do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, as leis que fixam efetivo não devem ser encaradas como referenciais perfeitos das tropas das PMs.
"A fixação de efetivo geralmente é feita pela Assembleia, ou indicadas pelas próprias corporações, mas é mais um número discricionário, não leva em contas vários critérios que devem ser analisados. Muitas vezes o aumento de efetivo atende muito mais a interesses corporativos do que serve para reduzir a criminalidade", afirma.
Souza diz que não há como estipular um número genérico de policiais por habitantes. Ele acredita que o número ideal de PMs em um Estado deve levar em conta muitas variáveis locais. "Não existe conta milagrosa. Isso depende, em parte, da própria efetividade da polícia, como de outros indicadores, como a efetividade da Justiça, percepção do crime. Área menos violenta demanda menos que uma violenta", explica.
Ainda segundo Souza, o aumento no número de PMs não significa, necessariamente, resultados positivos na luta contra a violência. "No caso brasileiro, o grande drama é que, nos últimos 15 anos, houve um aumento exponencial do investimento em segurança, e os indicadores têm piorado. O nosso problema tem a ver com o modelo de policiamento. São duas polícias que trabalham de forma competitiva, disputam espaços institucionais e não trabalham de forma cooperativa. Há muito desperdício de recursos humanos", afirma.

 Aliny Gama e Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, em Maceió 

Estão faltando políciais na região de fronteira ou em todo o estado?

Mais um caso em que criminosos "detonam" o local, amedrontam a polícia(levando vtr e acabando com a munição das equipes),usam armamentos superiores.  Diversos casos ocorreram nos últimos meses, porém nada é feito.   Com um dos efetivos mais baixos do país e com casos recentes e frequentes de empresários dispostos a pagar pelo reparo de viaturas; da população chegar ao ponto de promover eventos para arrecadar dinheiro na compra de armamento...  O MOMENTO É AGORA GOVERNADOR
#NovoconcursoPMPR

Abaixo a matéria do portal;
____________________________________________
Um confronto na fronteira do Brasil com o Paraguai mobiliza equipes da polícia na tarde desta segunda-feira (24), em Itaipulândia, São Miguel do Iguaçu e Santa Helena. Informações dão conta de que os suspeitos podem ser integrantes da quadrilha que explodiu e assaltou a Prosegur em Ciudad Del Este, no Paraguai. 
A situação ainda está em andamento e a polícia pediu reforços para lidar com a situação. Os criminosos teriam fugido em um barco através do Rio Paraná. Estima-se que os ladrões roubaram US $ 40 milhões, embora este valor não é oficial. Se confirmado, seria o maior roubo da história do nosso país.
Até um momento quatro pessoas foram baleadas. Em breve mais informações. 
Fonte: Portal da Cidade Foz do Iguaçu

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Solenidade na APMG com homenagens e medalhas comemora o Dia de Tiradentes e entrega Espadim aos cadetes


Por Marcia Santos
Jornalista PMPR

Uma cerimônia com homenagens, entrega de honrarias e do Espadim Tiradentes marcou a manhã desta sexta-feira (21/04) a Academia Policial Militar do Guatupê (APMG), em São José dos Pinhais (PR), com a participação de autoridades civis e militares, oficiais e praças da corporação, além de integrantes de outras instituições e convidados dos cadetes. No evento em alusão ao Dia de Tiradentes, Patrono das Polícias do Brasil, foi feita a tradicional entrega do Espadim aos 102 cadetes do 1º ano do Curso de Formação de Oficiais (CFO), bem como da Medalha Mérito de Ensino a professores e instrutores da casa de ensino. Nesta data também comemora-se o Dia do Policial Civil e Militar.

“Tiradentes, além do exemplo cívico que representa para nossa história, é o Patrono das Polícias Civil e Militar. O policial no seu dia a dia acaba replicando o exemplo para combater a criminalidade e a injustiça. É importante cultuar a memória de Tiradentes e usá-lo como exemplo para aqueles que estão ingressando como profissionais de segurança pública, para que assim possam conhecer o nosso herói, ainda mais na APMG que tem como missão cultuar valores”, disse o Secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita.

O Comandante-Geral da PM, coronel Maurício Tortato, destacou a importância de unir dois momentos importantes para a corporação, a homenagem ao inconfidente e a entrega do Espadim aos cadetes. “Tiradentes entregou sua vida pela causa brasileira, razão pela qual é considerado, na condição de policial militar e de alferes, o Patrono das polícias do Brasil. Cultuamos as nossas tradições e o exemplo dele para que possamos valorizar a nossa história, para viver o presente e projetar o futuro”, afirmou. “Aproveito também para parabenizar os novos cadetes que no momento crítico em que vivemos entregam suas vidas aos cuidados da corporação e em prol do cidadão paranaense, buscando por uma sociedade mais justa e solidária”.

Para o Corregedor-Geral da Polícia Civil, delegado Jairo Amodio Estorílio, a solenidade na APMG foi uma das melhores que já presenciou. “É uma felicidade poder participar desta cerimônia tão importante e que demonstra qual o sentido de se ter o Tiradentes como nosso patrono”, conta. O o coronel da reserva Luiz Rodrigo Larson Carstens, Grão-Mestre do Grande Oriente do Brasil-Paraná, destacou a satisfação de estar presente na inauguração do busto de Tiradentes na casa de ensino. "Esta instituição cultiva valores cívicos e morais, promovendo a segurança do cidadão paranaense. Hoje nossa homenagem especial é aos policiais estaduais, militares e civis, que superam no dia a dia as dificuldades em prol do cidadão paranaense mesmo que isso custe sua própria vida. As atitudes e palavras de Tiradentes não foram em vão, vêm influenciando muitas no Brasil”.

Este ano foi a primeira vez que a cerimônia foi feita na APMG, anteriormente acontecia na Praça Tiradentes, no centro de Curitiba (PR). “Foi um sonho de vários comandantes da Polícia Militar trazer esta solenidade para dentro desta casa de ensino, que é um local apropriado para grandes cerimônias. Este evento culminou com a entrega do Espadim aos cadetes, que é mais uma homenagem ao nosso Patrono. Hoje eles fazem sua primeira apresentação formal”, explica o Comandante a Academia de Policial Militar do Guatupê (APMG), tenente-coronel Mauro Celso Monteiro.

A solenidade teve início com a alvorada festiva em homenagem a Tiradentes e posteriormente foi inaugurado seu busto, o qual foi doado pelas potências maçônicas: Grande Oriente do Brasil, Grande Loja do Paraná e Grande Oriente do Paraná. A estátua ficará em lugar de destaque na casa de ensino, onde foi depositada uma coroa de flores pelas principais autoridades presentes, entre eles o Comandante-Geral da PM, coronel Maurício Tortato; o Subcomandante-Geral da PM, coronel Arildo Luis Dias; representantes da Polícia Civil e da Maçonaria.

ESPADIM - Em continuidade à cerimônia foi feita a apresentação dos novos cadetes que ingressaram na Escola de Oficiais da APMG no 1º ano do Curso de Formação de Oficiais (CFO) no ano passado. Ao todo, 102 cadetes (91 policiais e 11 bombeiros), sendo do estado do Espírito Santo, receberam, de seus padrinhos e madrinhas, o Espadim Tiradentes, arma símbolo do cadete da Polícia Militar do Paraná.

Para os cadetes do 1º ano além da realização de um sonho, a emoção deste dia é indescritível, como disse o cadete Henrique Pilz Tschoeke: “é uma satisfação enorme a data de hoje, pois foram mais de 200 horas de treino para este evento. No momento em que recebi o espadim foi uma emoção indescritível. Minha expectativa é seguir no curso com mais uma fase vencida”.

“Para mim é a realização de um sonho, que batalhei muito para conseguir, e eu me espelho muito em meus parentes militares, principalmente no meu pai, e através desta conquista, me sinto muito feliz hoje”, afirma o cadete Carlos Henrique Rodrigues Assunção, sobrinho do tenente-coronel Carlos Eduardo Rodrigues Assunção e filho do também tenente-coronel Carlos Alberto Assunção. “Me sinto muito orgulhoso e feliz por ele seguir meus passos, sabemos como é difícil ingressar na escola de oficiais, então, tendo em vista esta dificuldade temos muito a reconhecer o esforço dele nisso ; é um grande sonho que está se realizando hoje”, avalia o pai orgulhoso.

Outra cadete que está seguindo o caminho dos familiares é Thaisa Caroline Nabozny Rodrigues, sobrinha dos oficiais capitão Solange Nabozny Tedeschi e tenente-coronel Valdir Tedeschi. “É uma emoção que nem consigo descrever, pois foi por tanto tempo esperada esta oportunidade, um sonho de criança, estar aqui, receber o espadim e ver a família orgulhosa não tem preço. Espero que eu possa alcançar objetivos dentro da Polícia Militar e cumprir o que esperam de mim. Isso é muito mais do que eu esperava”, disse Thaysa.

MEDALHA - Durante o evento também foi entregue a Medalha Mérito de Ensino aos professores e instrutores da APMG, militares e civis que atuam nos núcleos de ensino da PM em todo o estado, como forma de gratidão e reconhecimento pelo empenho e dedicação à instituição. A honraria foi instituída pela portaria do Comandante-Geral nº 1027 de 17 de agosto de 2009 com a finalidade de atribuir reconhecimento aos militares e civis.

A Medalha Mérito de Ensino da APMG foi dividida em: Medalha Policial Militar “Coronel Dagoberto Dulcídio Pereira” e Medalha Bombeiro Militar “Coronel Rene Raul Vegerro Silva”. A esposa do Coronel Guaraci Moraes de Barros, um dos ex-Comandantes da PMPR e também instrutor na APMG, recebeu a medalha em nome dele, juntamente com os demais homenageados.

Participaram do evento o Comandante da 5ª Região Militar e respondendo pelo Comando da Artilharia Divisionária da 5º Divisão de Exército, General de Brigada Aléssio Oliveira da Silva; o Procurador da República, Alessandro José Fernandes de Oliveira; o Vice-Reitor da Unespar, Sidnei Kempa; o secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita; o Vice-Presidente e Diretor Administrativo do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, Orlando Pessuti; o Subcomandante do CINDACTA II, coronel aviador Ramiz Andraus Júnior; o Comandante-Geral da PM, coronel Maurício Tortato; o Subcomandante-Geral da PM, coronel Arildo Luis Dias; o Comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Juceli Simiano Júnior; o Comandante do 6º Comando Regional da PM (6º CRPM), coronel Chehade Elias Geha; o Diretor de Apoio Logístico (DAL), coronel João de Paula Carneiro Filho; o Diretor da Diretoria de Ensino e Pesquisa (DEP), coronel Nelson Argentino Soares Júnior; o Comandante a Academia de Policial Militar do Guatupê (APMG), tenente-coronel Mauro Celso Monteiro; o Comandante do 1º Grupamento dos Bombeiros, tenente-coronel Wellington de Farias Ramos Júnior; o Comandante do BPRv, tenente-coronel Antônio Zanatta Neto; o Assessor Militar da SESP, tenente-coronel Nelson Ademar Piske; o Chefe da Diretoria de Assuntos Institucionais, tenente-coronel Carlos Eduardo Rodrigues Assunção; o Chefe da 5ª Seção do Estado maior da PM, tenente-coronel Vanderley Rothenburg; o Comandante do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA), tenente-coronel Adonis Nobor Furuushi; o Comandante do 22º Batalhão da PM, tenente-coronel Roberto Sampaio Araújo; e o Sub-chefe da Diretoria de Desenvolvimento Tecnológico e Qualidade (DDTQ), tenente-coronel José Carlos Ludovico.

Também estiveram presentes o coronel da reserva Paulo Vergílio Guimarães; o coronel da reserva Ariovaldo Alves Nery Júnior; o Presidente da Associação dos Oficiais Policiais e Bombeiros Militares do Paraná (ASSOFEPAR), coronel da reserva Isaías de Farias; o coronel da reserva Celso José Mello; o coronel da reserva Luiz Rodrigo Larson Carstens; o Presidente da Associação da Vila Militar (AVM), coronel Washington Alves da Rosa; o Diretor-Geral da SESP, delegado Francisco José Batista da Costa; o Corregedor-Geral da Polícia Civil, delegado Jairo Amodio Estorílio; representando o Corpo de Bombeiros do Espírito Santo, tenente-coronel Washington; o Comandante do 20º Batalhão de Infantaria Blindado, tenente-coronel Gersom Rolim da Silva; o Comandante do 5º BLOG, tenente-coronel Eron Pacheco da Silva; o Comandante 5º BSUP, tenente-coronel Fabrício Leite da Silva; o Secretário Municipal Augustinho Michalizen; o Chefe de Gabinete da SESP, delegado Roberto de Mello Milaneze; o Coordenador de Ensino Superior da Secretaria de Ciência e Tecnologia, Mário Cândido de Athay Júnior; a Superintendente de Educação Inês Carnielleto; além de familiares e convidados.

TIRADENTES - Tiradentes foi alferes, um oficial subalterno da Polícia Militar de Minas Gerais. Sua capacidade de organização e liderança fez com que fosse escolhido para liderar a Inconfidência Mineira, grupo integrado que tinha como principal objetivo a Independência do Brasil. Ele recebeu este apelido por exercer também o ofício de dentista.

Foi precursor da independência e, quando a inconfidência foi descoberta, se entregou em favor do grupo, confessou seus interesses. Por isso, há uma grande identidade dos policiais com ele. Os integrantes da Inconfidência sonhavam em fundar universidades e escolas e com um País com menos desigualdades sociais. Conforme relata a história, Tiradentes e seu grupo de inconfidentes foram delatados e julgados, mas alguns aristocratas ganharam penas mais leves. Já Tiradentes, de origem humilde, foi condenado à forca e executado em 21 de abril de 1792.
http://www.pmpr.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=21325&tit=Solenidade-na-APMG-com-homenagens-e-medalhas-comemora-o-Dia-de-Tiradentes-e-entrega-Espadim-aos-cadetes-da-Policia-Militar--